Notice: Undefined index: options in /home/garchen/public_html/wp-content/plugins/elementor-pro/modules/theme-builder/widgets/site-logo.php on line 123
texto2 - imensuraveis 3 - institutogarchen

Texto 2: Qualidades que facilitam a compaixão

Para expandir nossa compreensão da compaixão, podemos refletir um pouco sobre as nove coisas que você pode precisar para ser muito compassivo. Todas essas qualidades podem tanto fortalecer nossa compaixão quanto tornar essa qualidade mais presente em nossa vida.

As nove qualidades necessárias para fortalecer nossa compaixão – ser encantador, corajoso, agradável, disciplinado, alegre, firme, extremamente gentil, sem hesitação e imparcial – são chamadas de “nove expressões”. Nas tradições orientais, esse tema de nove expressões é usado em várias formas de arte, música e até mesmo na dança. No contexto da compaixão, as nove qualidades podem ser vistas como as melhores coisas a expressar em nossa própria vida.

A primeira qualidade a ter é simplesmente ser encantador, o que significa ser gentil. Você não pode dizer: “Vou ter compaixão por todos os seres conscientes” e ter um comportamento feroz. Deve haver gentileza em suas ações físicas e verbais, gentileza em sua atitude em relação a todos – e um genuíno prazer em ajudar. Isso seria a primeira coisa necessária para a compaixão.

Em segundo lugar, você precisa ser corajoso. Você deve ter a coragem de superar suas hesitações, suas inseguranças, suas expectativas e até mesmo suas ambições pessoais de autoproteção. Mesmo com o custo disso, se houver algo que você possa fazer para aliviar o sofrimento e as causas do sofrimento dos seres conscientes, é melhor ter a coragem de fazer. Essa coragem ajuda a geração adequada de compaixão.

A terceira característica é ser agradável. Ser uma “pessoa agradável” implica estar muito acessível aos outros. Você está ciente de quem você é como pessoa, portanto, pode cultivar dentro de si mesmo essa porta de abertura ou acessibilidade aos outros.

Então, alguém que é encantador, corajoso, agradável e acessível também deve ser disciplinado, e a quarta qualidade é exatamente essa, ser disciplinado – não apenas por um dia ou uma semana, mas consistentemente disciplinado em sua diligência e esforço, e determinado em sua motivação de compaixão por todos os seres conscientes. Essa é a quarta qualidade.

A quinta característica é a alegria. A alegria tira constantemente a atenção de si mesmo e a coloca na felicidade dos outros. A alegria quando alegre pelos outros não é vista ou ponderada como algo que você experimenta ou contribui. Você fica igualmente feliz com a felicidade dos outros – que pode não ter nada a ver com você ou sua contribuição. Você simplesmente deseja que os outros sejam felizes e sempre livres do sofrimento.

A sexta característica é chamada de firmeza: “firme e decidido”. Se sua firmeza é realmente para o bem dos outros, você pode ser firme em dizer “Não”. A firmeza é o oposto da compaixão boba. Às vezes, na pressa de sermos compassivos, deixamos de lado a característica necessária da discriminação mental. Portanto, não faça isso. Use sua própria discriminação para descobrir qual é o bem maior para o indivíduo – e se o bem maior deles pode ser alcançado ao dizer “não” ou ao não ser muito gentil naquele momento específico, então não hesite. Esse tipo de firmeza é uma das qualidades da compaixão.

A sétima qualidade refere-se a ser nada menos que completamente gentil. Isso é muito mais profundo do que a firmeza. Ser completamente gentil significa garantir que suas intenções compassivas não sejam “perdidas” ao serem uma fachada para ambição pessoal, objetivo oculto ou auto-realização. Alcançar isso é desenvolver a gentileza absoluta.

A oitava qualidade é estar “além da hesitação”. O cultivo da compaixão deve ser cuidadosamente pensado. Então, quando os padrões habituais de autoproteção, expectativas ou autodefesa surgirem, sua coragem pode impulsioná-lo além da hesitação. Essa é a oitava característica da compaixão.

A nona qualidade necessária da compaixão é ser completamente e verdadeiramente imparcial. Você não tem mais compaixão por aqueles com quem se dá bem e menos compaixão por aqueles que se opõem a você ou não atendem às suas expectativas. Ou o contrário: você não tem mais compaixão por pessoas e situações difíceis e menos compaixão por aqueles que estão próximos de você. É quando muitas pessoas vão para países distantes e do terceiro mundo para serem compassivas, em vez de serem compassivas em casa. Essa nona qualidade significa ser completamente imparcial em sua abordagem.

Essas são as nove qualidades – ser encantador, corajoso, agradável, disciplinado, alegre, firme, absolutamente gentil, além da hesitação e imparcial. Acreditamos que elas são muito razoáveis e a maioria das pessoas concorda que todas essas são qualidades interessantes para se ter em nosso coração e mente.

Tudo o que você experimenta em sua vida – momentos felizes, momentos tristes, momentos sozinho ou com os outros, momentos em que as coisas estão a seu favor e quando não estão – tudo pode ser direcionado para a ideia de “Que os outros estejam livres do sofrimento e das causas do sofrimento“. Isso é um coração que está cultivando compaixão em cada evento na vida. Se a compaixão for cultivada de uma maneira mais próxima a isso, também podemos alcançar sua alegria relacionada com mais facilidade.

 

Scroll to Top