Notice: Undefined index: options in /home/garchen/public_html/wp-content/plugins/elementor-pro/modules/theme-builder/widgets/site-logo.php on line 123
texto1 - o que e 2 - institutogarchen

Texto 1: O contexto histórico dos Ensinamentos

Nós chamamos este curso de “Introdução ao Budismo”, mas o que essa palavra “Budismo” realmente significa? Precisamos, de início, examinar essa questão.

 

O Budismo é entendido de várias maneiras por diferentes pessoas. Às vezes é entendido como uma filosofia, às vezes como uma religião, e, na nossa melhor definição, é um conjunto de estudos e práticas baseados nos ensinamentos do Buda. “Buda”, por sua vez, é uma palavra de uma língua antiga que na verdade significa “O Aclarado” – isto é, alguém que jogou luz nos próprios obscurecimentos interiores e tornou claras e desenvolvidas todas as qualidades potenciais que todos temos dentro de nós.

Este título, de “Aclarado”, “Iluminado”, ou “Buda”, foi dado ao buscador espiritual chamado Gautama depois que ele alcançou sua “iluminação”, há mais de 2.600 anos. Os ensinamentos mais conhecidos do Buda descrevem a natureza das insatisfações humanas e as maneiras que temos de nos libertar delas.

 

Os Ensinamentos do Buda se espalharam do norte da Índia para a Ásia e, eventualmente, para o resto do mundo. Enquanto, de uma forma ampla, o Budismo inclui muitas escolas diferentes – cada uma com mais ou menos foco em diferentes práticas – todas essas várias escolas compartilham a convicção de que é possível compreender a verdade da existência vivendo uma vida ética e dedicada ao desenvolvimento espiritual, e expõe métodos e sugestões para todos que quiserem praticá-las.

 

Os ensinamentos budistas em geral visam resolver os problemas centrais da existência humana. Esse objetivo também é comum a algumas outras escolas de pensamento diferentes pelo mundo afora, mas achamos que no Budismo temos uma visão ampla e detalhada de muitos métodos que podem ser usados para alcançar uma vida mais significativa.

 

Na prática tradicional, o foco principal da grande maioria dos budistas leigos tem sido acumular potencial positivo para si mesmos, ouvindo professores experientes, fazendo boas ações, e, às vezes, fazendo pequenas meditações simples. Eventualmente o praticante alcança alguma estabilidade mental onde ele pode gerar benefício a outros seres com mais facilidade, e isso também faz parte do caminho.

É nossa opinião que, ao oferecer aqui várias reflexões e práticas, as pessoas podem ter um vislumbre do oceano de ensinamentos budistas que são ensinados, e, eventualmente, podem se conectar ainda mais com os temas e práticas que mais os beneficiaram.

A prática dos elementos budistas que apresentamos no curso pode ser vista como um experimento pessoal. Ela coloca o indivíduo no papel de “cientista”, testando as práticas em sua própria mente e vendo se o resultado funciona. A ideia é que por meio desse processo a pessoa possa alcançar maior paz interior – o que a levará naturalmente a uma felicidade mais estável.


Também queremos lembrar aos nossos leitores que todos esses ensinamentos aqui apresentados são na verdade sugestões para pessoas, e não dogmas. O Buda disse uma vez: “Não acredite em nada, não importa onde você leu ou quem disse, não importa se eu mesmo disse, a menos que esteja de acordo com sua própria razão e seu próprio bom senso.” Desse modo, integrar alguns princípios budistas em sua vida não exige que você desista de seu sistema de crenças já existente – na verdade, como veremos mais adiante, pode até servir para ajudá-lo a viver ainda mais suas próprias crenças!

Para qualquer um com uma mente aberta, os ensinamentos budistas podem ser usados de forma proveitosa para viver uma vida significativa e marcada pela bondade consigo mesmo – e, eventualmente, bondade para os outros seres.


A essência desses nossos pequenos cursos é sobre esse processo: descobrir o que realmente funciona para domar sua própria mente e maximizar suas próprias boas qualidades.


Além disso, como já estamos falando sobre os métodos do Budismo, cabe especificar um pouco mais nossa visão. Achamos que focar em muitos textos budistas ou mesmo tentar praticar muitas meditações diferentes ao mesmo tempo pode ser demais para a maioria dos nossos alunos. Também achamos que todas as reflexões “pequenas” que serão compartilhadas aqui tem um belo potencial transformador,  e ainda que também gostemos de ensinamentos bem mais longos e mais densos, estes são adequados apenas para leitores ávidos. Podemos eventualmente recomendar alguns desses materiais bem longos aos alunos quando for o caso.

 

No momento, continuaremos a nos concentrar em informar os métodos e propósitos das práticas budistas e fornecer todo o contexto necessário para insights mais profundos que virão pela frente. Em breve também incluiremos algumas meditações opcionais por aqui para proveito de quem se interessar.


À medida que continuamos apresentando textos e apontando para reflexões individuais, examinaremos melhor os insights budistas, mergulharemos mais em nós mesmos e aprenderemos a como, lentamente, como mudar nossos hábitos mentais para melhor, tanto para nosso próprio benefício quanto para o benefício de outros seres ao nosso redor.

 

Scroll to Top