Notice: Undefined index: options in /home/garchen/public_html/wp-content/plugins/elementor-pro/modules/theme-builder/widgets/site-logo.php on line 123
texto1 - imensuraveis 3 - institutogarchen

Texto 1: Adicionando alta compreensão das coisas à nossa compaixão

Compaixão: Uma das raízes da iluminação

Conforme a visão Budista, o caminho para uma mente iluminada deve ser enraizado no cultivo tanto da sabedoria quanto da compaixão. Em alguns ensinamentos budistas, esses dois aspectos são descritos como as duas asas de um pássaro, igualmente indispensáveis para nos permitir avançar em direção ao objetivo da iluminação.

Alguns mestres formulam essa analogia de forma diferente, de maneira mais humana, referindo-se à “sabedoria desperta” e ao “exercício da compaixão” como nossos dois pés que devem trabalhar em união para que possamos elevar nossas mentes a patamares mais elevados.

Na verdade, todos os dias caminhamos pelo caminho da compaixão em algum nível. Ao ajudar os outros, naturalmente nos aproximamos deles para oferecer ajuda e cuidado. Mas como podemos ajudá-los de maneira a verdadeiramente aliviar seu sofrimento? Por onde começamos e como devemos proceder? Tudo isso requer boas decisões. Para ajudar os outros, precisamos não apenas despertar a compaixão, mas também ser hábeis em nossos métodos e maneiras, e considerar o que realmente podemos fazer para ajudar.

O entendimento é como os olhos que nos permitem ver. A visão e o entendimento nos possibilitam determinar se estamos indo na direção certa e se é algo bom e possível a longo prazo. É muito fácil sair do caminho certo, e com uma pequena mudança na direção, nossa rota mudará significativamente, nos afastando muito do caminho.

Realmente precisamos dos olhos da sabedoria para nos mantermos no caminho. No caminho, também é provável que haja armadilhas e obstáculos. Somente com a visão proporcionada pela sabedoria, podemos usar nossas percepções e compreensões para evitá-los com sucesso. Ao percorrer o caminho da compaixão, portanto, também precisamos estar atentos e alertas.

Para realizar o trabalho de ajudar os outros, realmente precisamos equilibrar sabedoria e compaixão. Ambos são importantes e são como nossos pés – sem um ou outro, não conseguiríamos andar adequadamente e progredir de maneira sustentável. Munidos da capacidade de ver claramente com os olhos da sabedoria e de avançar graças às pernas da compaixão e da consciência, certamente podemos alcançar nosso destino e realizar o que nos propomos a fazer.

Quando discutirmos ‘sabedoria’ como tema principal na Jornada, voltaremos a este ponto e o exploraremos com mais profundidade, mas por enquanto, podemos dizer que a sabedoria é simplesmente tentar compreender a realidade da melhor maneira possível.

Ajustar nossas mentes à realidade de como as coisas funcionam não é fácil, mas felizmente os Ensinamentos também podem oferecer alguma ajuda a esse respeito, como veremos.

 

Scroll to Top